O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Diosdado Cabello, anunciou, hoje, que o Ministério Público emitiu ordens de detenção contra três políticos da oposição por alegado envolvimento numa conspiração para assassinar o Presidente Nicolás Maduro.

Segundo aquele responsável, as ordens de detenção foram emitidas contra o ex-candidato presidencial Henrique Salas Römer, o dirigente político e advogado Gustavo Tarre Briceño e o responsável da oposição Robert Alonso Bustillos.

O anúncio teve lugar durante o seu programa televisivo, transmitido pelo canal estatal Venezuelana de Televisão.

A procuradora-geral da República, Luísa Ortega Díaz, revelou também que quase 500 pessoas foram detidas na Venezuela por alegado envolvimento em atos de corrupção, entre janeiro e junho de 2014, anunciou hoje .

«Até 19 de junho foram detidas 493 pessoas, por corrupção. Esse é um trabalho que o Ministério Público vem realizando com a ajuda da administração financeira», disse.

O anúncio foi feito no programa «Em Sintonia com o Ministério Público», transmitido pela Rádio Nacional da Venezuela, durante o qual precisou que foram preparados vários «peritos para ajudar os promotores a investigar» as denúncias de corrupção.