Os ministros dos Negócios Estrangeiros das sete nações, que este sábado reuniram em Paris para discutir o conflito no médio oriente, tentam que o cessar-fogo de doze horas, que decorre este sábado na Faixa de Gaza, entre Israel e Hamas seja prolongado. As tréguas entre os dois lados do conflito permitiram já recuperar mais corpos, que estavam ainda debaixo dos escombros, elevando o número de palestinianos mortos para mais de mil.

«Todos estamos a tentar que o cessar-fogo que está a decorrer seja estendido», disse o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Laurent Fabius, segundo a Reuters

Na reunião participaram os ministros dos Negócios Estrangeiros francês, britânico, alemão, italiano, do Qatar, turco e da União Europeia.

Um cessar-fogo de 12 horas entre Israel e o Hamas entrou este sábado em vigor às 05:00 GMT (06:00 em Lisboa), no 19.º dia do conflito que já causou a morte de centenas de pessoas.

Israel e o movimento islamita Hamas disseram que iriam cumprir tréguas temporárias de 12 horas na Faixa de Gaza, depois de uma proposta do secretário de Estado norte-americano John Kerry para um cessar-fogo mais prolongado ter sido rejeitada na sexta-feira.

O cessar-fogo permitiu recuperar mais corpos de vítimas dos conflitos dos últimos dias, que estavam ainda inacessíveis debaixo dos escombros. Segundo as últimas informações das unidades médicas no local, o número de mortos palestinianos na sequência dos 19 dias de conflito ultrapassou já os mil. Também Ashraf Al-Qidra, porta-voz do ministro da Saúde, em Gaza, veio confirmar que foram recuperados dos escombros mais de 100 corpos este sábado. A última contabilização oficial de vítimas mortais apontava já para mais de 900.

São na sua grande maioria civis da Faixa de Gaza e morrerem desde o início da ofensiva israelita a 08 de julho, revelaram os serviços de emergência locais. Durante o mesmo período, 37 soldados israelitas morreram nos combates em Gaza. Dois civis israelitas e um trabalhador agrícola tailandês foram mortos por disparos palestinianos.