Após um mês e meio de investigações, a Tokyo Electric Power (TEPCO) revelou ter encontrado uma pequena fissura no fundo de um dos tanques de armazenamento de água radioativa, responsável pela contaminação do Oceano Pacífico.

Na semana passada, os técnicos da central nuclear de Fukushima tinham iniciado as operações de desmantelamento ao tanque com defeito após detetar a primeira fuga. Os 3,5 mil operários recorreram a aplicação de espuma nas juntas para poder desvendar a origem das fugas, adianta a cadeia de televisão japonesa NHK.

A operadora da central nuclear conta com aproximadamente 350 tanques deste tipo em toda a central, fabricados pouco depois do acidente nuclear provocado pelo tsunami de Março de 2011 e com recurso a materiais baratos, como resina e fixações metálicas, utilizados para unir juntas em vez de solda.

Em comunicado, a operadora anunciou que dará início esta sexta-feira aos testes com o novo Sistema de Processamento Avançado de Líquidos (ALPS).