Um militar russo grande adepto de selfies publicou várias fotografias suas e de amigos no Instagram. Mas esqueceu-se de desligar a geolocalização do telemóvel e denunciou que as fotografias foram tiradas no Leste da Ucrânia.

Esta pode ser a prova do envolvimento da Rússia com os separatistas ucranianos.

Vários líderes mundiais, incluindo Obama e Merkel, têm acusado os russos de envolvimento com os separatistas, mas Vladimir Putin negou sempre.

Sanya Sotkin, de 24 anos, tem andado a publicar uma série de fotos no instagram em contexto de guerra. A geolocalização das publicações indica que as fotos foram tiradas no leste da Ucrânia, muito perto do local onde caiu o avião da Malaysia Airlines.

As várias selfies capturadas pelo militar foram em Kranaya Talovke e em Krasnvi Derkul, cidades da região controlada pelos separistas.

«Por aí, a trabalhar num Buk, a ouvir música, basicamente um bom domingo», escreveu Sanya numa publicação. De acordo com os Estados Unidos, foi um míssil Buk, fabricado na Rússia, que atingiu o avião.

Antes disso, o militar já tinha feito outras publicações. «Ainda não percebi o que estamos aqui a fazer. Estamos a ficar loucos, a ouvir swedish house mafia e à espera de novas notícias da Ucrânia», escreveu numa das publicações.

Contudo, existe uma possibilidade de que estas evidências sejam forjadas. Segundo um jornalista do «The Guardian», algumas fotos parece que foram alteradas em Photoshop e tem duvidas que Sotkin seja mesmo um soldado russo.

É possível também que a geolocalização das publicações tenham sido alteradas num programa chamado «GPS ghosting».