Milhares de taxistas de grandes cidades europeias mobilizaram-se esta quarta-feira contra a «intrusão» na sua atividade de plataformas ou aplicações de partilha de carros, que não precisam de licença de transporte público.

Os taxistas consideram que o recurso a aplicações móveis como a Uber prejudica a sua atividade, apesar de a Comissão Europeia ter considerado que estas aplicações beneficiam o consumidor e fomentam a atividade empreendedora.

Entretanto, a Uber, a empresa norte-americana que deu origem aos protestos do setor dos táxis europeu, emitiu um comunicado no qual classificou de «desmedidas» as mobilizações que ocorreram em várias cidades da Europa.