A polícia turca usou canhões de água e balas de borracha para dispersar entre 100 a 200 pessoas que participavam numa marcha de “orgulho gay”, este sábado, em Istambul.

Ainda são desconhecidas as razões que motivaram esta reação da polícia, mas, como escreve o “The Guardian”, o facto da marcha este ter coincidido com a altura do ramadão pode ter motivado a fúria dos mais conservadores.
 

Esta não foi, de todo, a primeira vez que a marcha aconteceu em Istambul, e costuma ser vista como o maior evento do género dos países muçulmanos, pelo que a reação foi inesperada. 

Um operador de câmara da agência turca “Dogan” contou que a polícia pediu à multidão que dispersasse, logo quando se reuniram na Praça Taksim, afirmando que a marcha não seria autorizada. Indiferentes aos avisos, os manifestantes continuaram no local e foi quando as autoridades usaram os canhões de água e balas de borracha para os fazer dispersar.

No entanto, a multidão acabaria por reunir-se novamente não muito longe do local dos confrontos, sem novas intervenções policiais. O grupo acabaria por crescer de centenas para milhares de pessoas.