Hayat Boumeddiene entrou na Síria a 8 de janeiro, afirmou o ministro de Negócios Estrangeiros turco, Mevlut Cavusoglu à agência Anatolian.
 
Segundo o ministro, a mulher mais procurada em França chegou ao aeroporto de Istambul a 2 de janeiro, via Madrid, e ficou num hotel, Boumeddiene apenas no dia 8 cruzou a fronteira Síria na Turquia. O bilhete de regresso, com data de 9 de janeiro, nunca foi utilizado.

«As imagens do vídeo são formais», assegurou uma fonte policial ao Le Figaro.
 
Hayat Boumeddiene era casada com o sequestrador do supermercado judaico, em Paris, e terá participado também na morte de um polícia, no dia seguinte ao atentado à redação do jornal «Charlie Hebdo». 

Leia também:   a transformação da suspeita, de jovem pacata dos subúrbios a noiva jihadista 

Esta segunda-feira, o ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, anunciou que cerca de 5.000 polícias e guardas franceses vão ser mobilizados para proteger todas as escolas judaicas do país e militares vão ser enviados como reforço nos próximos dois dias.