O conselho nacional de segurança turco, dirigido pelo presidente Recep Tayyip Erdogan, recomendou esta quarta-feira o prolongamento do estado de emergência, instaurado por três meses após a tentativa de golpe de Estado de 15 de julho.

Foi decidido recomendar o prolongamento do estado de emergência para garantir eficazmente a proteção da nossa democracia, do Estado de direito, bem como os direitos e as liberdades dos nossos cidadãos", indicou o conselho (MGK), em comunicado divulgado no final de uma reunião no palácio presidencial em Ancara.

O estado de emergência foi decretado a 20 de julho, o que significa que terminava em meados de outubro.