As autoridades turcas podem já ter localizado o atirador que fez 39 mortos na discoteca em Istambul, na noite da passagem de ano.

Um dia depois de o ministro dos Negócios Estrangeiros do país ter revelado que o autor do ataque foi identificado, mas não ter revelado mais detalhes, as autoridades dizem agora já saber onde se encontra o suspeito.

Numa conferência de imprensa, esta quinta-feira, o  vice-primeiro-ministro turco adiantou que o atirador é provavelmente uigur, uma etnia islâmica oriunda da China.

Não adiantando pormenores sobre a localização do suspeito, o  vice-primeiro-ministro turco admitiu que este possa estar no estrangeiro, mas as operações na Turquia vão continuar.

Veysi Kaynak descreveu o homem como um membro “especialmente treinado” de uma célula que levou a cabo o ataque, mas acredita que o atirador agiu sozinho, ainda que tenha sido ajudado por terceiros.

As autoridades acreditam que esses cúmplices pudessem mesmo estar no interior do clube noturno naquela noite.

Esta quinta-feira, a operação policial teve como como alvo a cidade costeira de Selimpasa, já que se acredita que possíveis cúmplices do ataque estivessem no local.

O ataque foi entretanto reivindicado pelo Estado Islâmico. 

As autoridades turcas já tinham manifestado a convicção de que o grupo radical estaria por detrás do ataque à discoteca em Istambul. O ataque, que fez 39 mortos e 69 feridos, aconteceu cerca das 2:00 de domingo (hora local) na discoteca "Reina", localizada na zona de Ortakoy, na margem europeia do Bósforo, durante os festejos de Ano Novo.

Sabe-se que já há 16 pessoas detidas por suspeitas de ligações ao ataque, mas nenhuma delas será o atirador. O governo turco informou, ainda assim, que o autor do ataque já foi identificado.

Em 2016, morreram pelo menos 180 pessoas em ataques na Turquia levados a cabo pelo Estado Islâmico e por rebeldes curdos.