O Presidente da Tunísia, Beji Caid Essebsi, afirmou este domingo à televisão Itele e à rádio Europe 1 que um terceiro autor do atentado ao museu do Bardo, em Tunes, que causou 21 mortos, está em fuga.

«Seguramente eles eram três (…). Dois foram executados, mas há um que permanece em fuga», declarou o Presidente. «Em qualquer caso, não irá muito longe», acrescentou.

No dia 18 de março, um grupo de homens armados atacaram a zona do Museu do Bardo e mataram 21 pessoas: 20 turistas estrangeiros e um elemento das forças de segurança tunisinas.

Na altura foram abatidos dois terroristas, posteriormente identificados pelas forças de segurança como sendo Jabeur Khachnaoui e Yassine Laabidi. O secretário de Estado  para a Segurança da Tunísia disse que os dois terroristas abatidos tinham tido treino militar na Líbia.

Este ataque contra o Museu Nacional do Bardo foi o que vitimou mais estrangeiros na Tunísia desde 2002. Nesse ano, a Al-Qaeda, num ataque suicida, matou 21 pessoas na sinagoga de Djerba: 14 alemães, cinco tunisinos e dois franceses.