A Organização das Nações Unidas (ONU) informou esta quarta-feira de que 7,8 milhões de mulheres e crianças nas Filipinas necessitam de ajuda, na sequência do tufão Haiyan, que devastou o centro do arquipélago no dia 08.

Cerca de 3,2 milhões de mulheres e 4,6 milhões de crianças necessitam de apoio psicológico e proteção contra violações, tráfico humano e exploração, indicou a responsável pelos Assuntos Humanitários da ONU, Valerie Amos.

«Com mais de 500 mil casas completamente destruídas, a necessidade urgente de refúgios e proteção básica para as mulheres e crianças mantém-se», afirmou Amos, que visitou na terça-feira a cidade de Tacloban, uma das mais afetadas pelo tufão, citada pelo diário The Star.

As autoridades das Filipinas elevaram hoje para 4.011 o número de mortos registados no arquipélago devido à passagem do tufão.

De acordo com os dados mais recentes do Conselho Nacional de Gestão e Redução de Risco de Desastres, o tufão causou ainda 18.557 feridos e 1.602 desaparecidos.

A maior parte dos mortos, num total de 3.310, foi registada na província de Leyte, a mais afetada pelo tufão.