Atualizada às 15h23

O tufão Phanfone, que atingiu Tóquio, levou as autoridades a recomendar que mais de dois milhões de pessoas fossem retiradas por risco de inundações e deslizamento de terras.

Pouco depois das oito da manhã o tufão atingiu solo japonês, com ventos de 220 quilómetros, de acordo com a Agencia Meteorológica do Japão. Em Tóquio, chuvas torrenciais, trouxeram grandes inundações na zona do porto e na orla costeira, com o nível do mar a subir cerca de dois metros. 

Segundo a cadeia NHK, o Phanfone já fez, desde domingo, três mortos - todos militares norte-americanos -, seis desaparecidos, 62 feridos e deixou 57 mil casas sem luz.     

De acordo com um porta-voz da polícia local, os três militares americanos foram arrastados na tarde de domingo na ilha de Okinawa (sul).

«Estavam a tirar fotos das ondas gigantescas» disse um porta-voz da polícia.

O corpo de um dos militares foi recuperado, mas os outros continuam desaparecidos.

Empresas e escolas estão encerradas, o comboio de alta velocidade entre Tóquio e Osaka foi suspenso e mais de 600 voos domésticos e internacionais adiados ou cancelados.

Classificado como «forte», o tufão já obrigou ao cancelamento de todas as operações no exterior na acidentada central nuclear de Fukushima, que ainda se enc ontra danificada desde o tsunami de 11 de março de 2011.