Pelo menos nove pessoas morreram num tiroteio numa igreja metodista na cidade de Charleston, na Carolina do Sul, nos Estados Unidos. O suspeito do múltiplo homicídio  continua a monte, mas já foi identificado como sendo um jovem de 21 anos chamado Dylann Roof.

De acordo com as forças de segurança, oito pessoas morreram dentro da igreja e outras duas foram transportadas para o hospital, onde uma não resistiu aos ferimentos.

Ao final da tarde de quarta-feira, durante a leitura da Bíblia, o homem entrou na igreja e abriu fogo indiscriminadamente sobre os presentes, descreve a CNN.

A polícia não esclareceu o número de pessoas que estavam presentes na leitura, que acontece todas as quartas-feiras, ao final do dia. 

Polícia continua a caça ao homem

 
A polícia divulgou entretanto imagens captadas por uma câmara de vigilância que mostram o suspeito do múltiplo homicídio.

As autoridades acreditam que ele não abandonou a área de Charleston e contam, por isso, com a ajuda da população para encontrar Roof.

Imagens no Facebook do presumível atirador mostram-no envergando um casaco com as antigas bandeiras da África do Sul e da Rodésia, dois estados onde a segregação racial esteve instituída.

Dado que o ataque visou uma igreja frequentada por uma comunidade maioritariamente negra, a polícia norte-americana não tem dúvidas em classificá-lo como um “crime de ódio”.

Edificada em 1816, a igreja já antes tinha sido alvo de outro ataque, em que foi incendiada e depois reconstruída.