As autoridades norte-americanas divulgaram os nomes das 17 vítimas mortais do tiroteio na escola Marjory Stoneman Douglas, em Parkland, Florida, levado a cabo, na quarta-feira, pelo ex-aluno Nikolas Cruz.

Aaron Feis, 37 anos, treinador de futebol 

 

Aaron Feis (Reprodução Instagram)

Aaron Feis jogou futebol americano na equipa da Stoneman Douglas antes de se formar em 1999. Três anos depis, voltou como treinador-adjunto. Feis, que tinha mulher e filha, foi, aparentemente, o primeiro a responder ao "código vermelho" quando começaram os disparos. Foi apontado como “herói” na tragédia. Terá estado frente a frente com o atirador, para proteger os alunos de serem baleados. Morreu no hospital, na madrugada do dia seguinte, após ter sido atingido por Nikolas Cruz.

Scott Beigel, 35 anos, professor de Geografia 

 

Scott Beigel (Reprodução Twitter)

Além de professor, Scott Beigel também era treinador da equipa de atletismo da escola.  Foi morto à porta de uma sala de aula que tinha aberto para os alunos se abrigarem quando começou o tiroteio e que depois fechou à chave para os proteger.

Jaime Guttenberg, 14 anos, aluna

 

Jaime Guttenberg (Reprodução Facebook)

Jamie Guttenberg foi a primeira vítima confirmada do tiroteio, enquanto o irmão, Jesse, que frequentava a mesma escola, conseguiu regressar a casa são e salvo. O pai da adolescente, Fred Guttenberg, escreveu no Facebook que está "devastado" com a perda da filha e que ainda não sabe como vai conseguir seguir em frente com a família.

Martín Duque Anguiano, 14 anos, aluno

 

Martín Duque Anguiano (Reprodução Instagram)

A morte de Martín Duque (à direita na foto) foi confirmada pelo irmão, Miguel (ao centro), que publicou uma mensagem emocionada no Instagram: "As palavras não podem descrever a minha dor neste momento. Amo-te, irmão Martín, e vou sentir sua falta. Sei que estás num lugar melhor."

Chris Hixon, 49 anos, diretor desportivo 

 

Além de ser diretor desportivo da Marjory Stoneman Douglas, Chris Hixon era treinador de wrestling e qualificou a equipa de basebol da escola para o campeonato estadual e nacional em 2016. Tinha dois filhos.

Joaquin Oliver, 17 anos, aluno

 

Joaquin Oliver (Reprodução Facebook)

Joaquin Oliver (à direita na foto) vivia nos Estados Unidos desde os três anos, altura em que os pais emigraram da Venezuela. Recebeu a cidadania norte-americana no início do ano passado e ia formar-se este ano.

Nicholas Dworet, 17 anos, aluno 

 

 Nicholas Dworet (Reprodução Facebook)

Nicholas Dworet (à esquerda na foto) ia formar-se este ano e havia acabado de ganhar uma bolsa de estudos da Universidade de Indianópolis. Ia fazer parte da equipa de natação da universidade e tinha grandes planos para o futuro. Este nadador especialista em estilo live tinha o logotipo dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 no wallpaper do computador, afirma Andre Bailey, treinador do TS Aquatics club, a equipa de natação de Nicholas fazia parte.

 

Alyssa Alhadeff, 14 anos, aluna

 

Alyssa Alhadeff (Reprodução Facebook)

A família de Alyssa Alhadeff publicou esta fotografia, em que a jovem aparece ao lado do avô, em diversas redes sociais logo após saberem do ataque à escola e não conseguirem entrar em contato com ela. A esperança de encontrar a adolescente com vida transformou-se em tristeza. "Muitos inocentes foram mortos há poucas horas. Entre eles, está a minha priminha. O meu coração está partido", escreveu no Facebook Ariella Del Quaglio, prima de Alyssa.

 

Gina Montalto, 14 anos, aluna

 

Gina Montalto (Reprodução Facebook)

Gina Montalto estava no primeiro ano. Fazia parte de um dos grupos de dança da Marjory Stoneman Douglas. “O meu coração está despedaçado. Nunca te vou esquecer meu doce anjo”, escreveu no Facebook um ex-instrutor de Gina, Manny Miranda.

 

Luke Hoyer, 15 anos, aluno

 

Luke Hoyer (Reprodução Facebook)

Luke Hoyer foi encontrado no terceiro andar da escola, revelou a tia Toni Stroud Brownlee. De acordo com declarações da família à imprensa local, Luke era um apaixonado por desporto e pretendia concorrer a uma vaga na equipa de futebol americano da Marjory Stoneman Douglas. 

Carmen Schentrup, 16 anos, aluna

 

Carmen Schentrup era uma das melhores alunas da Marjory Stone Douglas High School. Em 2017 foi semifinalista do National Merit Scholar, um concurso nacional que seleciona 1% dos melhores estudantes do país para bolsas de estudo para a universidade.

Meadow Pollack, 18 anos, aluna

 

Meadow Pollack (Reprodução Facebook)

O pai de Meadow Pollack (na foto com a avó), Andrew, cotou ao The New York Times que a jovem pretendia estudar na Universidade Lynn, em Boca Raton, depois de se formar este ano.

Peter Wang, 15 anos, aluno

 

Peter Wang (Reprodução Twitter)

Peter Wang participava num programa das Forças Armadas norte-americanas que treina estudantes em escolas secundárias para os preparar para a carreira militar. Na quarta-feira, tinha o uniforme vestido e morreu enquanto mantinha uma porta da escola aberta para os colegas fugirem.

Alaina Petty, 14 anos, aluna

 

Alaina Petty (Reprodução Twitter)

Alaina Petty estava no primeiro ano da escola. "Não temos palavras ou hashtags neste momento, apenas tristeza", disse a tia-avó da adolescente, Claudette McMahon Joshi.

Cara Loughran, 14 anos, aluna

 

Cara Loughran (Reprodução Facebook)

Um vizinho de Cara Loughran publicou uma fotografia da menina no Facebook com uma mensagem em que diz "voe com os anjos, vamos sentir sua falta e celebrar sua linda vida."

 

Alexander Schachter, 14 anos, aluno

 

Alex Schachter tocava trombone na banda da escola e gostava de jogar basquetebol. Estudava na Marjory Stoneman Douglas com o irmão, que sobreviveu ao massacre de quarta-feira.

Helena Ramsay, 17 anos, aluna

 

Helena Ramsey morreu dentro da escola onde estudava. De acordo com a família, era uma adolescente "gentil, amável e de bom coração."

O autor do tiroteio de quarta-feira foi identificado como Nikolas Cruz, ex-aluno da escola, solitário e grande amante de armas. O jovem, de 19 anos, foi presente na quinta-feira a tribunal, tendo sido acusado de 17 homicídios premeditados. O jovem acabou por admitir ter sido ele o autor do massacre Marjory Stoneman Douglas, de onde tinha sido expulso por razões disciplinares.