As explosões que na quarta-feira fizeram a terra tremer no norte da China, em Tianjin, deixaram uma cratera no solo de dimensões impressionantes. A tragédia, para a qual ainda não existem causas oficiais, fez até ao momento 104 mortos e centenas de feridos. 

As imagens reveladas este sábado pela agência EPA mostram a violência da explosão que abriu um buraco na terra de dimensões ainda por apurar. 



Segundo a conta do Centro das Redes de Vigilância dos Sismos da China no Sina Weibo, o Twitter chinês, a magnitude da primeira explosão equivaleu à detonação de três toneladas de TNT, enquanto a segunda teve uma potência equivalente à detonação de 21 toneladas daquele explosivo. 

Informações das autoridades locais e relatos de vizinhos citadas por um jornal de Pequim indicam que as explosões destruíram janelas, sacudiram edifícios

A onda de explosões chegou a sentir-se até dez quilómetros de distância. 

Este sábado, as autoridades ordenaram a evacuação das populações num raio de três quilómetros devido ao perigo de contágio químico, depois de ter sido encontrado no local vestígios de cianeto de sódio. 

As autoridades chinesas confirmaram até ao momento 104 mortos, mas este sábado as equipas no local encontraram um homem que sobreviveu à tragédia. O chinês com cerca de 40 anos resistiu à explosão dentro de um contentor quando estava apenas a 50 metros da explosão.