A maioria dos participantes do concurso "The Biggest Loser" recuperam os muitos quilos que perderam ao longo do programa pouco depois de voltarem à vida normal, mas isso pode ter uma explicação. Um estudo que analisou os participantes do concurso norte-americano da NBC revelou que perder peso drasticamente danifica o metabolismo e que isso está na origem da recuperação dos quilos.

Publicado na revista Obesity, o estudo acompanhou 14 participantes da edição de 2009 que, inicialmente, tinham um metabolismo normal. Mas a situação foi-se invertendo e, no final do programa, o processo metabólico tornou-se substancialmente mais lento, numa resposta natural à falta de alimentos.

Manter o peso estável foi, por isso, uma tarefa quase impossível: a primeira mulher a vencer o concurso norte-americano, em 2008, ganhou mais peso do que aquele que perdeu no programa.

Também Danny Cahill, que participou na edição de 2009, entrou com cerca de 196 quilos e no final do concurso tinha perdido perto de 90, pesando então 109 quilos.

Segundo o The New York Times, Danny recuperou boa parte do peso que perdeu - atualmente pesa 146 quilos - mas o seu metabolismo é mais lento do que o normal, consomindo menos 800 calorias por dia do que seria de esperar num homem com a sua estrutura física.

No caso das mulheres acontece o mesmo. Dina Mercado pesava 112 quilos ao entrar no programa, quando saiu o seu peso rondava os 78 quilos, mas rapidamente regressou aos 93 quilos. De acordo com o estudo, atualmente, Dina queima menos 437,9 calorias por dia do que as que seriam de esperar.

Os autores do estudo estão a investigar a relação da obesidade com a diabetes e o motivo pelo qual as dietas não funcionam em determinadas pessoas. A esperança dos investigadores é que se desenvolvam novos tratamentos e terapias para pessoas que sofrem de obesidade e que estes doentes possam controlar e estabilizar o seu peso.