O Estado Islâmico reivindicou os atentados desta terça-feira em Bruxelas e faz novas ameaças, prometendo "dias negros". Num comunicado divulgado nas redes sociais, os seguidores do califado dão pormenores dos atos terroristas perpetrados - tudo em nome de Alá - e indicam um número de vítimas acima dos que são avançados pelas autoridades belgas.

Leia na íntegra o comunicado deixado nas redes sociais:

Pela graça de Alá e a sua bondade, uma célula secreta de soldados do califado – que Alá lhes dê a força e a vitória – lançou-se sobre a Bélgica, que não parou de combater o Islão e os muçulmanos. Alá colocou a vitória nas mãos dos nossos irmãos e lançou o medo no coração dos cruzados. De facto, o número de soldados do califado – empregando cintos de explosivos, bombas e metralhadoras, alvejaram lugares selecionados com precisão na capital da Bélgica, Bruxelas – atacaram o inteiror do aeroporto Zaventem e uma estação de metro para matar um grande número de cruzados. Eles depois explodiram os seus cintos de explosivos no meio da multidão. O balanço deste ataque eleva-se a 40 mortos e pelo menos 210 feridos entre os cidadãos dos estados cruzados. 


E é a Alá que cabe o louvor, a graça e a bondade. 


Prometemos aos Estados cruzados que se aliaram contra o Estado Islâmico, dias bem negros, em resposta à sua agressão contra o nosso estado. E o que vos espera será cada vez mais duro, amargo com a permissão de Alá.
 

O louvor a Alá que tornou os nossos ataques precisos e nos permitiu o sucesso. Nós pedimos-lhes - glorificado seja - que aceite os nossos irmãos entre os mártires. 
 

AO MINUTO: acompanhe aqui