Alegados combatentes islâmicos do Boko Haram da Nigéria sequestraram, este domingo, cerca de 80 pessoas, muitas delas crianças. Num ataque na fronteira dos Camarões, em aldeias no norte, os radicais fizeram pelo menos três mortos, segundo informaram autoridades militares e do governo, citadas pela Reuters.

Os sequestros, um dos maiores em solo camaronês desde que os militantes começaram a expandir a zona de operações em toda a fronteira no ano passado, ocorre no momento em que o vizinho Chade implanta tropas para apoiar as forças de Camarões na área.

«De acordo com as informações iniciais, cerca de 30 adultos, a maioria deles pastores, e 50 crianças entre 10 e 15 anos foram sequestrados», disse à Reuters um oficial do exército implantado no norte dos Camarões.

Segundo a mesma fonte, o ataque ocorreu ao início da manhã e tinha como alvo a aldeia de Mabass e várias outras aldeias ao longo da fronteira com a Nigéria. Soldados acorreram ao local e trocaram tiros com os sequestradores durante duas horas, acrescentou.

O porta-voz do governo, Issa Tchiroma, confirmou o ataque, adiantando que três pessoas foram sido mortas, sem, no entanto, conseguir precisar quantas pessoas tinham sido sequestradas. O mesmo responsável adiantou ainda que pelo menos 80 casas foram destruídas.