O Governo australiano anunciou esta terça-feira a intenção de reforçar as leis antiterrorismo para apertar a vigilância de presumíveis ‘jihadistas’ adolescentes e evitar o seu recrutamento por parte de organizações extremistas.

A proposta de lei, que vai ser apresentada no próximo mês no parlamento, prevê a redução da idade para aplicar as ordens de controlo de 16 para 14 anos, apesar de limitar a atuação da polícia nos interrogatórios de menores.

“Infelizmente, o alcance do Estado Islâmico (EI) e os substitutos e agentes do EI na Austrália está a estender-se entre os jovens”, afirmou o procurador-geral, George Brandis, à cadeia televisiva ABC.


A alteração à lei chega cerca de duas semanas depois de um atentado terrorista em Sidney, cujo atirador tinha apenas 15 anos. O adolescente de nacionalidade iraniana vitimou um agente e um civil à porta da esquadra da polícia de Parramatta.