O primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, afirmou esta terça-feira que foi registado um elevado nível de «conversas de teor terrorista» após o sequestro no café em Sidney, que terminou com três mortos, admitindo que se pode «considerar provável» um novo ataque.

«Um briefing fornecido hoje pelas agências de segurança indicou que tem havido um elevado nível de conversas de teor terrorista após o sequestro em Martin Place», afirmou, após uma reunião com o seu Comité de Segurança Nacional.


O autor do sequestro, Man Haron Monis, um iraniano de 50 anos a quem foi concedido asilo político na Austrália em 1996, foi uma das pessoas mortas, juntamente com dois reféns, quando a polícia irrompeu pelo café do centro de Sidney na terça-feira da semana passada para libertar 17 reféns.