Um forte sismo de magnitude 8,2 abalou esta madrugada de sexta-feira a costa sul do México. O número oficial de mortos está a subir e vai agora em 58, segundo a Proteção Civil mexicana, citada pelas agências internacionais.

Há ainda relatos de um morto na Guatemala, país onde o abalo também foi sentido.

Citado pela Associated Press, o governador do estado mexicano de Tabasco disse que as vítimas mortais na região são duas crianças. Arturo Nunez informou que um dos menores morreu quando uma parede ruiu e o outro foi um bebé, cujo ventilador a que estava ligado deixou de funcionar devido ao corte de eletricidade, provocado pelo terramoto, no hospital pediátrico em que estava internado. 

Leia também: Embaixador diz que não deverá haver portugueses entre os mortos

De acordo com o US Geological Survey (USGS), o epicentro do sismo foi a 165 quilómetros a oeste de Tapachula, no sul do estado de Chiapas, não muito longe da Guatemala, com uma profundidade de 35 quilómetros (22 milhas).

A Associated Press adiantou que os edifícios se balançaram "violentamente" e as pessoas em pijama fugiram para as ruas em pânico, alertadas pelo sistema de alarme sísmico, que detetou o tremor ainda antes de este ter chegado à Cidade do México. Muitos locais da capital ficaram em eletricidade. 

A terra tremeu também perto de Oaxaca, ali com um pouco menos de intensidade, 5,7, segundo a USGS, a agência norte-americana que mede tremores de terra.

Peña Nieto alerta para possibilidade de forte réplica em 24 horas

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, indicou esta quinta-feira que a magnitude do sismo foi de 8,2, o mais forte no país nos últimos 100 anos, depois de os serviços mexicanos avançarem uma magnitude de 8,4. O Serviço Geológico dos Estados Unidos aponta para uma magnitude de 8,1.

O abalo afetou a rede elétrica do México e o chefe de Estado avançou que um milhão e 500 mil casas foram afetadas pelo corte de eletricidade.

De acordo com a Associated Press, Enrique Peña Nieto afirmou também que foram registadas 62 réplicas com magnitudes entre os 5,4 e os 5,7 e advertiu a população para a possibilidade de, nas próximas 24 horas, se registar uma réplica muito mais forte.

Em declarações ao canal de televisão Televisa, Peña Nieto disse que os mexicanos precisam de estar muito atentos e que a réplica pode superar a magnitude de 7 na escala de Richter, após recordar que em 1985 ocorreu uma réplica muito potente, de 7,5, um dia depois do primeiro grande sismo de magnitude 8,1, que destruiu vários edifícios e matou milhares de pessoas.

Assegurou que até agora o alerta de tsunami no sudeste do estado de Chiapas, onde se registou o epicentro do sismo ocorrido na noite de quinta-feira, “não representa um risco maior” e considerou que 50 milhões de pessoas podem ter sentido o tremor de terra por todo o país.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) informou entretanto que três réplicas com magnitudes entre 5,2 e 5,4 do sismo que abalou o México foram registadas em toda a rede sísmica portuguesa.

“Até ao momento registámos três réplicas em território nacional, nas estações sísmicas do continente, Madeira e Açores (na ilha das Flores), mas certamente as redes sísmicas locais registaram muitos mais eventos, mas com magnitudes mais baixas, que depois já não são nem registadas nem observadas na rede nacional pois a distância é muito grande”, disse à agência Lusa o responsável do departamento de sismologia e geofísica do IPMA, Fernando Carrilho.

Presidente da Guatemala pede calma

Além do México, o sismo foi também sentido na Guatemala e em El Salvador. Num discurso na televisão nacional, o presidente guatemalteco, Jimmy Morales, pediu calma e sangue frio à população no rescaldo do sismo.

Há registos de alguns danos e um morto, apesar de ainda não sabermos os detalhes exatos", disse citado pela Associated Press.

O chefe de Estado afirmou que a morte, ainda não confirmada, ocorreu no estado de San Marcos, perto da fronteira com o México.

O sismo sentiu-se em várias regiões da Guatemala, de acordo com relatos de moradores nas redes sociais. A imprensa local descreve quedas de paredes de casas no oeste do país.

 

Tsunami confirmado

O Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico informou entretanto que ondas de tsunami foram registadas na costa do Pacífico, ao largo do México.

Ondas de um metro acima do nível da maré foram medidas ao largo de Salina Cruz, enquanto ondas mais pequenas foram observadas na costa ou registadas por medidores oceânicos noutros locais, confirmou o mesmo organismo.

As autoridades mexicanas estão a retirar os residentes de Puerto Madero, em Chiapas, como medida de precaução, indica a Associated Press. 

O Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico indicou ainda que Equador, El Salvador e Guatemala podem verificar ondas de um metro ou menos.

Está descartada a ameaça de tsunami para a costa oeste dos Estados Unidos. 

Nas redes sociais foram partilhados diversos vídeos do momento em que o sismo foi sentido pelos mexicanos. 

Num dos vídeos partilhados no Twitter veem-se os efeitos do terramoto na redação do jornal "Milénio".

 

 

Num outro vídeo, é possível ver o Anjo da Independência, uma estátua no centro da Cidade do México,  a abanar.