Teresa Romero está melhor, avança o El País. As duas últimas análises da auxiliar de enfermagem espanhola contagiada com o vírus do ébola deram valores quase negativos do vírus.

De acordo com o jornal, está previsto que este domingo seja feito um terceiro exame e que, caso os valores sejam iguais, poder-se-à dizer que Romero está praticamente curada da infeção.

«Há dois testes que deram um valor tão baixo que já estão na margem do negativo», afirmou Luis Enjuanes, um dos membros do comité científico sobre o ébola nomeado pelo governo.

A carga viral da auxiliar de enfermagem começou a baixar há uns dias, tendo passado de quantidades muito elevadas - mil milhões de cópias do vírus - a «cinco, um valor praticamente negativo».

«A equipa médica está muito contente. Oxalá nos dê uma alegria esta segunda-feira», afirmou.

Também a vice-presidente do Governo, Soraya Sáenz de Santamaría, também celebrou a melhoria de Teresa Romero.

«Tem melhorado estes dias e acredito que é um elemento positivo», afirmou. A auxiliar de enfermaria acusou positivo em dois testes do vírus do Ébola no dia 6 de outubro depois de ter prestado cuidados ao paciente com ébola transferido da Serra Leoa. A auxiliar de enfermagem soube que tinha a doença pela Internet, ao consultar o seu telefone e ver as notícias online. Teresa Romero está internada no Hospital Carlos II de Madrid, onde tem sido tratada. A paciente estava numa outra unidade de saúde da capital espanhola, no Hospital de Alcorcón, e deslocou-se sob escolta de uma dezena de carros da polícia nacional, da guardia civil e por agentes em motociclos.

O estado de saúde de Romero agravou-se ao terceiro dia de internamento, com a doente a ser entubada por problemas pulmonares. No entanto, no dia seguinte, Teresa Romero mostrou melhorias e no dia 10 de outubro já estava consciente e conseguia sentar-se. 

Quando os médicos pensavam que a paciente tinha começado a melhor, a auxiliar de enfermagem voltou a ter uma recaída e fontes hospitalares tiveram de confessar que a doença tem um comportamento muito irregular no corpo humano, podendo levar a um agravamento do estado de saúde «muito rapidamente». 

Esta sexta-feira, a imprensa espanhola dava conta de que a doente tinha melhorado, facto que se veio a confirmar depois de conhecidos os resultados das análises.