A explosão de uma bomba no centro de Banguecoque, Tailândia, nesta segunda-feira, fez pelo menos 19 mortos, entre os quais 10 tailandeses, um chinês e um filipino, e 123 feridos avançou a Polícia Nacional, segundo a AFP.

Os media locais estão a avançar um número mais elevado de mortos, apontando para 27 no total - 10 homens e 17 mulheres. A imprensa tailandesa, citada pela Reuters, fala, também, em dois chineses e um filipino, e acrescentam que a maioria dos feridos são turistas oriundos da China e Taiwan.

O incidente ocorreu às 18:30 (12:30 em Lisboa) junto ao templo hindu Erawan, numa zona muito movimentada da capital tailandesa, e as autoridades confirmaram à Reuters ter-se tratado de uma bomba que estava numa mota.
 

“Tudo o que posso adiantar agora é que houve uma explosão no centro de Banguecoque [causada] por uma bomba numa mota”, disse Aek Angsnanond chefe-adjunto da Polícia Nacional da Tailândia.


Uma testemunha do incidente disse que um soldado pediu aos cidadãos presentes no local para se afastarem dali, temendo uma segunda bomba,
 

"Havia corpos por todo o lado. (...) Foi horrível", disse Marko Cunningham, um paramédico neozelandês que ajudou nas operações de socorro, à Reuters.


Cunningham acrescentou que a explosão deixou uma cratera de dois metros de largura, e que entre os feridos há pessoas que estavam a várias centenas de metros de distância da explosão, ilustrando assim o enorme impacto da bomba.

Até ao momento, o ataque ainda não foi reivindicado. As autoridades tailandesas combatem um grupo terrorista no sul do país, predominantemente budista, mas os ataques raramente acontecem fora da zona de Malay. 

O ministro da Defesa da Tailândia acredita que o ataque teve como objetivo destruir a economia, uma vez que aconteceu numa zona muito frequentada por turistas.

"Os autores [do ataque] pretendiam destruir a economia e o turismo, porque o incidente aconteceu no coração de uma zona turística", disse Prawit Wongsuwan.

Na mesma linha, um cidadão português, Luís Pena Viegas, em direto de Banguecoque, sublinhou à TVI24 que o atentado aconteceu no coração da cidade, em plena hora de ponta.
 

“Quem fez isto, fez com intenção de causar um impacto e de causar um grande prejuízo à Tailândia”, afirmou.