O responsável do programa económico do partido grego Syriza, Yannis Miliós, afirmou este domingo que o programa acordado entre o primeiro-ministro, Antonis Samaras, e o Eurogrupo (ministros das Finanças da zona euro) «está morto».

«Suponho que Gikas Jardúvelis – ministro das Finanças em funções – se limitará amanhã [segunda-feira] no Eurogrupo a discussões de caráter técnico, pois o programa que tinha acordado com o representante de Samaras [primeiro-ministro em funções] já está morto», afirmou Yannis Miliós, citado pela EFE.

O Eurogrupo, que se reúne na segunda-feira em Bruxelas, vai debater a situação da Grécia, e, segundo fontes citadas pela agência espanhola, só haverá um debate sobre «o caminho a seguir», porque o único elemento novo em cima da mesa será o resultado das eleições de hoje.

Numa entrevista recente aos canais gregos de televisão, o líder do Syriza, Alexis Tsipras, assegurou que um Governo sob a sua liderança iria reconhecer os objetivos fixados nos tratados europeus, mas não as medidas previstas nos acordos firmados pelo executivo com a troika de credores internacionais (Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional e Comissão Europeia).

«Reconhecemos as nossas obrigações face às instituições europeias e aos tratados europeus. Estes tratados preveem objetivos orçamentais que devem ser respeitados, mas não as medidas para atingi-los», afirmou.

Segundo resultados oficiais após o apuramento de um quarto dos votos, o Syriza obteve 35,4% e a Nova Democracia, atualmente no governo, 28,9%.