Pelo menos oito das vítimas do massacre de Sutherland Springs, no Texas, este domingo, pertenciam à mesma família. De acordo com a CNN, que cita um líder comunitário e um familiar, entre as vítimas mortais, estava uma mulher grávida de cinco meses.

Além da mãe grávida, morreram também três dos seus filhos e um cunhado e o filho dele. Três outras pessoas desta família ficaram feridas.

Este domingo à noite, já se sabia que, entre as vítimas mortais estavam várias crianças. A filha do pastor da igreja, de apenas 14 anos, é uma delas. Quando a tragédia aconteceu, nem o pastor nem a mulher se encontravam no Texas. Estavam de viagem a Oklahoma.

O herói anónimo de Sutherland Springs

De acordo com os órgãos de informação norte-americanos, aquele que já é considerado o pior massacre da história do Texas só não foi ainda pior graças a um popular, que pegou na sua própria arma e atingiu o atirador e o perseguiu até este se despistar e colidir com o carro.

Pouco se sabe da identidade deste homem que já é considerado um herói em Sutherland Springs. Uma testemunha diz ter presenciado a troca de tiros entre esse popular e o suspeito.

As próprias autoridades confirmam que o atirador foi travado por um civil. “O suspeito largou a sua metralhadora, que era uma Ruger AR tripla e fugiu da igreja”, disse Freeman Martin, diretor regionar do departamento de segurança pública do Texas, em conferência de imprensa, este domingo à noite.

O atirador fugiu então de carro e foi perseguido pelo popular.

A polícia encontrou-o mais tarde, morto, dentro do próprio veículo. Terá morrido de um ferimento de bala, mas não é claro se morreu do tiro que lhe deu o residente de Sutherland Springs, se atirou sobre si próprio.

O suspeito

A identidade do suspeito ainda não foi confirmada pelas autoridades. Avançam apenas que se trata de um “homem branco”, na “casa dos 20 anos”.

Vários órgãos de comunicação, citando dois agentes das autoridades que pedem anonimato, adiantam que se trata de Devin Patrick Kelley, 26 anos, antigo oficial da Força Aérea, de onde foi expulso há três anos.

De acordo com a CNN, foi acusado em 2012 de violência doméstica e agressão ao filho.

Em abril de 2016, comprou uma metralhadora Ruger AR-556, a mesma que terá usado no massacre deste domingo.

De acordo com o New York Times, o jovem não era da cidade e nem sequer do condado. Vivia também no Texas, mas em New Braunfels, no condado de Comal.

Devin terá frequentado uma espécie de catequese para adultos, em 2013, numa igreja das redondezas de Sutherland Springs.

Sabe-se muito pouco sobre as suas motivações, mas o governador do Texas adianta que poderá ter-se tratado de um caso de ódio religioso. Além da formação religiosa que tinha recebido, nas redes sociais, era seguidor de páginas ligadas ao ateísmo.

Nos últimos tempos, tinha deixado alguns posts perturbadores nas redes sociais. Um deles era a imagem de uma metralhadora, pousada num sofá, acompanhada da legenda “ela é uma cabra”.