As autoridades suíças estão esta quinta-feira a realizar buscas em Genebra, relacionadas com terrorismo, ao contrário da informação inicialmente veiculada de que as buscas estavam relacionadas com os ataques terroristas levados a cabo em Paris, a 13 de novembro.

Por conseguinte, a polícia federal avisou as forças de segurança locais e a "a polícia aumentou o nível de segurança e reforçou o número de agentes nas ruas” de Genebra, segundo as autoridades anunciaram em comunicado citado pela Reuters. 

O corpo de segurança, na sede das Nações Unidas, está fortemente armada e controla todas as entradas de carros. 

Segundo uma fonte das Nações Unidas, a polícia está a procurar "quatro suspeitos" de ligações terroristas. Logo após os ataques, a investigação ultrapassou as fronteiras francesas e colocou mesmo a Bélgica em estado de emergência.

O terceiro alegado bombista da sala de espetáculos, Bataclan, em Paris, no dia 13 de novembro, foi identificado esta quarta-feira.  

De acordo com uma fonte do processo em declarações à agência AFP, tratava-se de Foued Mohamed Aggad que, em 2013, viajou para a Síria com o irmão e um grupo de amigos.