Uma equipa de cientistas descobriu ouro nos esgotos e nas estações de tratamento de águas residuais da Suíça. Estima-se que todos os anos sejam descarregados pelo sistema de esgotos do país cerca de 45 quilos de ouro, resultados do desperdício provocado pelas indústrias de relojoaria e transformação de ouro do país.

De acordo com um estudo do instituto de ciência da água da Suíça, o ouro desperdiçado pode atingir valores muito próximos dos dois milhões de euros anuais.

O estudo sobre o impacto das indústrias de relojoaria e de ourivesaria do país foi encomendado pelo Gabinete Federal Suíço para o Meio Ambiente e implicou análises de 64 estações de tratamento de águas residuais em todo o país.

Os cientistas concluíram que algumas regiões do país apresentavam maiores concentrações de desperdícios de ouro nos esgotos do que outras. No sul da Suíça, onde estão sedeadas muitas das mais famosas refinarias de ouro do mundo, a concentração de ouro detetado nas águas residuais é tão grande que surge mesmo a recomendação para se criar um sistema de recuperação desse metal precioso.

No estudo, além do ouro, os cientistas descobriram outros metais na água, incluindo prata e metais usados na construção de dispositivos eletrónicos. Os investigadores estimam que quase três mil quilos de prata sejam descarregados para os esgotos suíços todos os anos.

Os esgotos suíços parecem ser pródigos em abrigar pequenas fortunas. Em setembro, as autoridades de Genebra foram confrontadas com o estranho caso de duas mulheres que tentaram mandar pela sanita abaixo uma fortuna em notas de 500 euros.