Os trabalhadores da rede de elétricos e autocarros de Nice, em França, ofereceram 362 dias de férias, que acumularam através de um mecanismo de compensação de horas extraordinárias conhecido por RTT, para que este possa ficar em casa a tratar da mulher grávida, que foi internada vítima de um derrame cerebral.

Segundo a AFP, os colegas de Karim Zaouai permitiram-lhe que fique em casa com a mulher, que tem cesariana marcada para 17 de novembro, mas sofreu uma hemorragia cerebral e tem estado internada.

Solidários, em apenas uma semana, os colegas conseguiram - através do sistema RTT - reunir os dias equivalentes a um ano. Esta cadeia de solidariedade criada em redor do casal reuniu contribuições de pelo menos 200 motoristas e teve mesmo de ser interrompida.

Foi um dos meus amigos que tomou a iniciativa», afirmou Karim Zaouai, acrescentando ter sido apanhado de surpresa por esta onda de solidariedade.

Motorista há 10 anos, Zaouai contou à AFP que a mulher precisa de ser «acompanhada em permanência quando regressar a casa com o bebé» porque terá de reaprender a andar por causa do derrame cerebral que sofreu.

Em França, os RTT foram atribuídos no ano 2000, quando o tempo de trabalho passou das 39 para as 35 horas por semana. Em abril deste ano passou a ser possível doar as RTT desde que haja autorização do empregador. Esta lei visa permitir às famílias conciliar a vida profissional com momentos de grande sofrimento pessoal, como uma doença ou a perda de um filho».


Ils offrent un an de RTT à un collègue en... por nice-matin