Uma fotografia publicada no Facebook sensibilizou milhares de pessoas e angariou 100 mil euros para o protagonista, o vendedor de gelados Fidenzio Sanchez, de 89 anos. O idoso empurrava o seu carrinho de gelados numa rua da cidade de Chicago, nos Estados Unidos, quando um bom-samaritano se cruzou com ele e lhe perguntou a razão para ainda continuar naquela atividade. A resposta emocionou o transeunte e fê-lo lançar uma campanha de angariação de fundos.

Quando Joel Macias, o autor da fotografia, se deparou com a dificuldade do idoso em empurrar o carro de gelados, ficou solidário com aquele homem que, segundo ele, deveria estar a aproveitar a reforma em vez de caminhar tantos quilómetros por dia. O bom-samaritano comprou-lhe 20 gelados e deu-lhe cerca de 40 euros, antes de lhe prometer que o ajudaria a ter uma velhice digna.

Joel Macias com o casal Sanchez. Foto: Reprodução Facebook

Depois de tirar a fotografia e falar com o idoso, Macias criou uma campanha de angariação de fundos na página da Internet Gofundme para conseguir melhorar a vida de Fidenzio e da sua mulher. O casal perdeu a única filha em julho deste ano e a mulher adoeceu gravemente, o que obrigou o idoso a voltar à venda de gelados, depois de ter estado dois meses sem trabalhar.

Na publicação do Facebook, Macias acrescentou: “Respeito profundamente este homem!”

A campanha de angariação de fundos teve início na passada sexta-feira e tinha como objetivo chegar-se aos 3 mil dólares (2668 euros), mas a solidariedade de 5.600 pessoas fez com que, em apenas três dias, se chegasse aos 115 mil (cerca de 100 mil euros).

No texto escrito na página Gofundme, Macias comprometeu-se a fazer uma emissão em direto no Facebook do momento em que irá entregar a quantia ao casal.

Em entrevista ao canal de televisão Univision Chicago, Fidenzio Sanchez disse que pretendia partilhar o dinheiro com igrejas da sua terra-natal, no México, e com os seus netos.

Quanto ao facto de continuar a trabalhar, o idoso disse que por agora ficará em casa, mas não exclui a hipótese de voltar a vender gelados, pois diz que o ar fresco o ajuda a distanciar-se dos problemas.