O secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, afirmou que até ao momento não há registo de vítimas portuguesas do forte sismo que ocorreu esta madrugada em Itália.

No entanto, as autoridades portuguesas continuam a acompanhar a situação e estão em contacto com a unidade de crise do governo italiano.

Na região de Lazio, umas das que foi mais atingidas, estão inscritos quatro mil portugueses, mas a maioria vive em Roma.

A embaixada de Portugal na capital italiana já disponibilizou uma linha telefónica de apoio aos cidadãos portugueses.

De Portugal, e através do Presidente da República, já seguiu uma mensagem de condolências ao presidente italiano e aos familiares das vítimas. Uma mensagem de solidariedade dos portugueses com o povo italiano.

Dezenas de pessoas morreram na sequência de um forte sismo de magnitude 6.2 na escala de que sacudiu o centro de Itália nesta madrugada. Edifícios colapsaram, famílias ficaram soterradas e um sentimento de desespero. O cenário é de destruição. 

Amatrice, Accumoli e Arquata del Tronto foram as cidades mais afetadas. Há vilas que ficaram "completamente" arrasadas pelo sismo, como é o caso de Pescara del Tronto.