O grupo extremista Estado Islâmico realizou esta quinta-feira três ataques suicidas contra as forças pró-governamentais na Líbia, tendo um deles matado pelo menos 10 pessoas, afirmaram as autoridades.

No dia 12 de maio, as forças aliadas ao governo de união nacional da Líbia (GNA), reconhecido pela comunidade internacional, lançaram uma vasta ofensiva para recuperar a cidade de Sirte.

Depois de, na semana passada, terem sido bem-sucedidas nas suas ações, as forças pró-governamentais recuaram na progressão devido a contraofensivas do grupo Estado Islâmico e atentados suicidas.

De acordo com uma fonte médica local, estas contraofensivas do grupo extremista causaram 10 mortos e sete feridos. Este foi "um atentado perpetrado pelo Daesh em Abu Grein", uma cidade situada a cerca de 130km a oeste de Sirte.

Em comunicado, o centro de informação sobre as ofensivas contra o grupo Estado Islâmico precisou que um kamikaze a bordo de um carro-bomba embateu contra um posto de controlo à entrada de Abu Grein.

As forças pró-governamentais afirmaram terem existido mais duas tentativas de atentados por parte do grupo extremista. "As nossas forças conseguiram fazer com que duas viaturas explodissem antes que os bombistas-suicidas chegassem ao seu destino", acrescentou a mesma fonte, precisando que o grupo Estado Islâmico realizou vários ataques e tentativas de atentados desde domingo.

Na área residencial da cidade de Sirte, onde se enclausuraram e estão atualmente cercados, os jihadistas estão a abrigar-se em casas, têm atiradores nos telhados, espalharam explosivos e recorreram ao suicídio como forma de lidar com as forças pró-governo.

Depois de terem começado as operações contra o grupo Estado Islâmico, 164 membros das forças do regime líbio foram mortos e outras centenas foram feridas, segundo fontes médicas locais.

O Estado Islâmico tem cerca de cinco mil combatentes na Líbia, segundo as autoridades norte-americanas, sendo que a maioria desses combatentes se encontra em Sirte. Também nessa cidade se encontram cerca de 30 mil civis.

De modo a combater os seus inimigos "quando perde terreno [o grupo Estado Islâmico] usa as suas táticas usuais: ataques terroristas", explicou o especialista do Conselho Europeu de Relações Internacionais Mattia Toaldo.

A operação contra o grupo extremista está sob um comando comum, com base em Misrata, a cerca de 200km no oeste de Trípoli.