O ataque aéreo de 15 de outubro matou Charekh, também conhecido como Sanafi al-Nasr, no noroeste da Síria, segundo revelou Washington em comunicado.

O Pentágono sublinha ainda que a morte de Charekh é "um golpe significativo" nos planos dos rebeldes para atacar os Estados Unidos e os aliados.

“Esta operação representa um golpe significativo nos planos do grupo Khorasan para atacar os Estados Unidos e os nossos aliados e prova novamente que aqueles que nos querem prejudicar não estão fora do nosso alcance.”