Israel admitiu ter realizado um teste de mísseis conjunto com os Estados Unidos no Mediterrâneo, depois da Rússia ter anunciado a deteção do disparo de dois projéteis balísticos na região.

Inicialmente, um porta-voz militar israelita havia dito que Telavive não estava a par de qualquer lançamento.

Posteriormente, o ministério da Defesa disse que foi efetuado um lançamento de um projétil, usado como alvo para testar um sistema antimíssil financiado pelos EUA.

Washington garante que forças norte-americanas não estiveram diretamente envolvidas.

Estes testes surgem numa altura de elevada tensão na região, devido à expectativa de um ataque norte-americano contra o regime sírio, após a utilização de armas químicas contra civis.