O processo de evacuação de várias localidades sitiadas na zona de Alepo, na Síria, foi retomado esta quarta-feira, depois de ter sido interrompido na sequência do atentado que fez mais de cem mortos, no sábado.

O processo foi retomado, tendo três mil pessoas sido retiradas de Kafraya e 300 de Zabadani e de outras duas povoações sob controlo de forças rebeldes”

O ponto de situação foi feito à France Presse por Rami Abdel Rahmne, diretor do Observatório Sírio para os Direitos do Homem.

Um jornalista da AFP viu dezenas de autocarros a abandonar Foua e Kafraya, por volta das 04:00 (01:00 em Lisboa), nos arredores da cidade de Alepo, e conduzidos a Rachidine, estabelecida como zona de trânsito de acordo com os planos de evacuação.

O atentado de sábado foi levado a cabo com uma camioneta armadilhada junto a autocarros que retiravam civis e combatentes de Alepo.

Uma das histórias de heroísmo que vieram a público no meio da tragédia foi a de um fotógrafo sírio que largou a câmara para salvar uma criança"Percebi que respirava e comecei a correr em direção às ambulâncias", contou depois.