Um homem, descrito como antigo criminoso, foi condenado a 20 anos de cadeia em Singapura por ter ateado fogo à antiga amante que viria a falecer com queimaduras em 75% do corpo, noticia a AFP.

Lim Ghim Peow, de 45 anos, tinha-se declarado culpado de atear fogo à antiga amante.

«O acusado ateou fogo a um ser vivo, imediatamente depois de a regar com gasolina», disse o comissário judicial Tan Siong Thye na sentença escrita citada pela AFP.

O caso remonta a 25 de maio de 2012. Mary Yoong Mei Ling, de 43 anos, morreu horas depois de ter entrado no hospital devido a queimaduras em 75% do seu corpo.

O casal teve um relacionamento de três anos, terminado em 2011, depois de alegados abusos físicos cometidos por Lim contra Mary.

Segundo documentos do tribunal, Lim seguiu a mulher até ao seu apartamento e tentou uma reconciliação.

Perante a recusa de Mary, Lim regou-a com uma garrafa de gasolina e usou um isqueiro para a incendiar.

O juiz descreveu o caso como «um ataque muito cruel» e «um dos piores casos do género» que o tribunal tinha visto.

O magistrado referiu igualmente que Lim tinha planeado cuidadosamente o ataque e que tinha uma «disposição violenta latente», assim como uma história de envolvimento em grupos criminosos locais.

«Portanto, considerando a hediondez do (crime) e a necessidade de prevenir novos atos de violência, é justificada uma longa pena de prisão apesar do transtorno depressivo do acusado», disse o juiz.