A Coreia do Sul registou hoje a 24.ª morte por Síndrome Respiratória do Médio Oriente e um novo caso de contágio, de acordo com o Ministério da Saúde.

Os novos dados elevam para 166 o número total de casos confirmados desde 20 de maio, quando se detetou o primeiro contágio.

O número de pessoas em quarentena caiu 12% em relação a quinta-feira, para 5.930.

O primeiro-ministro da Coreia do Sul, Hwang Kyo-ahn, pediu hoje desculpas, um dia após a sua nomeação para o cargo, pela resposta do Governo ao surto do novo coronavírus, que já causou 24 mortos no país.

“Como recém-nomeado primeiro-ministro, peço desculpas pela insuficiência na resposta inicial do Governo, já que tem uma relação direta com a segurança pública”, disse Hwang perante os deputados da Assembleia Nacional, em declarações recolhidas pela agência Yonhap.

O primeiro-ministro reconheceu que “a resposta, na etapa inicial, foi tardia por falta de informação e conhecimento sobre o vírus”.

As autoridades de saúde da Coreia do Sul consideram, no entanto, que a Síndrome Respiratória do Médio Oriente (MERS na sigla inglesa), que já matou 24 pessoas no país, estará a começar a perder força.

A tese das autoridades sul-coreanas surge quando foi reportado mais um caso de contágio, a taxa mais baixa de infeção em duas semanas.

Com este novo caso as autoridades de saúde da Coreia do Sul confirmaram 166 contágios desde que a doença foi identificada pela primeira vez a 20 de maio.