Cerca de 3.000 migrantes distribuídos por 18 embarcações encontravam-se à deriva no Mediterrâneo, no Canal da Sicília, ao largo da Líbia, neste sábado, anunciou a guarda costeira italiana, citada pela agência France Presse.

Pelo menos sete navios, seis italianos e um norueguês, estão envolvidos nas operações de salvamento dos migrantes, depois de as autoridades italianas terem recebido pedidos de socorro para quatro barcos e 14 semirrígidos, que transportariam no total entre 2.000 a 3.000 migrantes.

Segundo a BBC, pelo menos 1.700 pessoas, que viajavam em cinco barcos, já foram resgatadas.

Mais de 104 mil migrantes oriundos de África, do Médio Oriente e da Ásia chegaram aos portos do sul de Itália este ano, depois de terem sido socorridos no Mediterrâneo. Outros 135 mil chegaram à Grécia e mais de 2.300 morreram no mar enquanto tentavam chegar à Europa.
 
A Polícia de Palermo anunciou neste sábado ter detido seis egípcios por suspeita de tráfico humano.