O Emir do Dubai visitou de surpresa escritórios da capital, este domingo, e não gostou de ver as secretarias vazias. Depois da visita, despediu nove funcionários públicos, entre eles diretores e diretores-gerais de serviços.

A visita aconteceu pelas 7:30 da manhã de domingo, altura em que os serviços deviam começar a funcionar. O Sheikh Mohammed bin Rashid al-Maktoum chegou sozinho ao edifício onde funcionam alguns serviços públicos do Dubai, como documentou numa publicação no Instagram.

Para o mundo ocidental, o domingo é, normalmente, dia de descanso, mas no Dubai é um dia de trabalho quotidiano.

Depois de circular por vários escritórios, o Emir do Dubai sentiu-se desapontado por verificar que alguns funcionários ainda não estavam a trabalhar.

Quando terminou a visita, o Sheikh al-Maktoum publicou fotografias e vídeos na sua página daquela rede social onde surge a inspecionar um dos escritórios vazios.

Sem hesitar, o Emir do Dubai anunciou a demissão de nove altos funcionários do Dubai, responsáveis pela administração executiva da cidade. Entre os colaboradores despedidos estão diretores e diretores-gerais dos departamentos dos assuntos leais e de planeamento, segundo a agência de notícias estatal WAM dos Emirados Árabes Unidos.

Em comunicado, o Sheikh al-Maktoum agradeceu aos funcionários pelos anos de serviço e explicou que o país precisa de uma nova geração na liderança para seguir em frente.

Para além dos escritórios do governo, o Emir do Dubai também visitou o aeroporto, um dos mais movimentados de todo o mundo. O momento foi registado em vídeo e divulgado no Instagram.

Na publicação, alguns seguidores do Sheikh elogiaram a iniciativa, dizendo inclusive que a atitude de al-Maktoum devia servir de inspiração para outros lideres mundiais.

 

محمد بن راشد يتفقد سير العمل في مطار دبي في صباح اليوم الباكر

Um vídeo publicado por Khalifa Saeed (@khalifasaeed) a

A Reuters refere que a decisão do Emir do Dubai em demitir funcionários públicos foi também influenciada pela intenção de encolher a máquina do governo, numa altura em que os Emirados Árabes Unidos têm enfrentado vários problemas consequência da queda abrupta do preço do petróleo.