As mulheres e as namoradas de homens que sofrem de ejaculação precoce sentem-se muitas vezes frustradas, mas não é pela razão que se pode pensar. Pelo menos é o que revela um novo estudo realizado por uma psicóloga clínica da Universidade de Zurique, na Suíça.

De acordo com a revista norte-americana «Time», Andrea Burri examinou mais de 1.500 mulheres no México, em Itália e na Coreia do Sul e constatou que as mulheres não querem necessariamente que a relação sexual dure mais tempo.

«Não é a curta duração do ato sexual que sexualmente frustra a maioria das mulheres, mas o facto de que o homem que sofre de ejaculação precoce foca-se muito fortemente em retardar a ejaculação. Como resultado, ele ignora as necessidades sexuais da mulher e é incapaz de satisfazer os seus desejos individuais, levando ao aumento da tensão psicológica e do stresse para ela», refere o estudo.

A ejaculação precoce é uma das disfunções sexuais mais comuns no homem. Mas não são apenas os homens que sofrem. Ao pensarem na meta final, é fácil para os homens negligenciarem atos sexualmente estimulantes como o beijar e o acariciar, que as mulheres que foram entrevistadas disseram ser igualmente importantes para a satisfação na cama.