A Coreia do Norte advertiu, esta quinta-feira que poderá reconsiderar a realização do encontro entre famílias separadas pela guerra na península se Seul e Washington mantiveram a realização de manobras militares previstas para o final do mês.

«O diálogo e os exercícios de uma guerra de agressão não podem caminhar juntos», disse a Comissão Nacional de Defesa da Coreia do Norte num comunicado emitido pela rádio estatal e recolhido pela agência sul-coreana Yonhap.

O regime de Kim Jong-un vincou que a situação militar na península poderia levar Pyongyang recuar no acordo alcançado quarta-feira para realizar encontros entre famílias separadas entre 20 e 25 de fevereiro.