Acampar em jardins de casas particulares, a preços mais baixos que os praticados nos parques de campismo, está a tornar-se uma tendência em França. Os proprietários disponibilizam o terreno, ganham dinheiro e os visitantes poupam.

Através do site «Campe dans mon jardin», ou seja, «acampe no meu jardim», encontram-se já mais de 500 jardins particulares disponíveis para acampar. Os preços são determinados pelos anfitriões, mas a página na internet recomenda cinco euros por pessoa e quinze euros para as caravanas, cerca de metade do preço convencional praticado nos parques.

Olivier Dufour, fundador do projeto, criou o serviço em 2012 depois de passar um ano a acampar, de forma selvagem, na Austrália.

As marcações são feitas online e os hóspedes só têm de levar o equipamento. «Grande parte dos campistas e dos donos das casas adotou o sistema por razões económicas. Mas, para muitos, a convivência e a troca de experiências também é importante», disse à BBC um dos sócios do projeto.

A ideia já atravessou fronteiras e o site expandiu o serviço para cerca de uma dezena de países, como Portugal (uma quinta em São João da Pesqueira, no Douro), Espanha, Itália, Áustria, Índia e Turquia. «Agora vamos focar-nos na internacionalização do projeto, nomeadamente em países do hemisfério sul», adiantou.

Questões de segurança têm sido apontadas, principalmente por se tratar de um acampamento num espaço não vigiado.

A Federação Francesa de Campismo e Caravanas já veio a público criticar o projeto, acusando-o de «concorrência desleal». «O conceito penaliza as verdadeiras áreas de campismo que fizeram esforços para se adaptarem às novas regras de segurança, fixadas por lei em 2010», afirmou um porta-voz.