Pelo menos 19 soldados ucranianos foram mortos nos últimos confrontos no leste da Ucrânia, afirmou esta quarta-feira uma fonte oficial de Kiev, precisando que cinco destes militares foram vítimas de um ataque com rockets em Kramatorsk.

«Dezanove soldados foram mortos nas últimas 24 horas e 78 ficaram feridos», afirmou o porta-voz do exército ucraniano Vladyslav Seleznyov em Kiev, depois ter sido anunciada a morte de outros cinco soldados também em Kramatorsk.

Esta quarta-feira, quatro pessoas morreram em ataques com granadas de morteiro numa paragem de autocarro e numa fábrica de metais na cidade ucraniana de Donetsk, de acordo com as forças separatistas e um funcionário da fábrica.

«Um condutor de autocarro morreu como consequência de tiros de morteiro numa paragem de autocarro do centro de Donestsk», disse à AFP o porta-voz dos separatistas, Ivan Prikhodko.

Um funcionário da fábrica de metais disse que três pessoas, incluindo dois guardas, morrerem durante um ataque no local.

Uma solução para o conflito parece estar longe de ser encontrada. O negociador da autoproclamada república popular de Donetsk, Denis Pushilin, afirmou ser «prematuro falar de cessar-fogo» no leste da Ucrânia e disse que ainda não foram concluídas as conversações com as autoridades de Kiev.

«Não se descarta a possibilidade de as negociações serem retomadas hoje de manhã», disse Pushilin à DAN, a agência de notícias dos separatistas de Donetsk.

As declarações do negociador pró-russo surgem depois de a agência oficial russa TASS informar, citando fontes anónimas, que a Ucrânia e os separatistas tinham acordado um cessar-fogo e um mecanismo para a sua supervisão.