A polícia russa lançou uma campanha para alertar para o perigo das selfies. As autoridades vão distribuir panfletos com dicas para tirar “ selfies seguras”, uma vez que já foram registados 10 mortos e 100 acidentes este ano, enquanto se tiravam fotos arriscadas.
 

“Uma selfie gira pode custar-lhe a vida”, afirma o ministro do interior russo, na brochura.




Tirar selfies com animais, em topo de prédios ou nas linhas de comboio, são apenas algumas das situações perigosas descritas no guia de duas páginas que vai ser entregue pela polícia. Para além disso, o panfleto conta ainda com infografias baseadas em incidentes reais, como o caso de uma rapariga de 21 anos que deu um tiro na cabeça, por acidente.


           
           Legenda: infografia presente no panfleto
 
 

“Para além de todas as vantagens do mundo moderno, parecem haver também novas ameaças”, avisou a agente Yelena Alekseyeva, numa conferência de imprensa. “Gostaríamos de lembrar os cidadãos que a procura de ‘likes’ nas redes sociais pode causar a morte”.


O ministério está a convidar o público a participar na campanha e criou um separador no site onde podem ser partilhadas situações potencialmente perigosas enquanto se tenta tirar fotografias, assim como permite a partilha das próprias fotos e vídeos dos utilizadores.


                                        

Em baixo, uma selfie que correu mal, na Indonésia, quando uma turista posou com um macaco. O animal não gostou e agrediu a rapariga. A sequência de fotos tiradas tornou-se viral nas redes sociais, atingindo as 4 mil partilhas.

                                         

Em abril, um vídeo tornou-se também popular na Internet, quando Jared Michael tentou tirar uma selfie à frente de um comboio e este esteve a centímetros de o atropelar.