A greve dos polícias militares está a causar o caos em Recife, no Brasil, com relatos de roubos e vandalismo por parte dos habitantes.

De acordo com o Globo, pelo menos duas pessoas foram detidas por suspeita de terem assaltado lojas no centro comercial da cidade.

Eletrodomésticos foram encontrados escondidos em telhados, entre as bancas de uma feira, e numa zona de comércio informal.

Os comerciantes que tentaram abrir as lojas desistiram por medo dos roubos e da falta de segurança provocada pela greve dos polícias militares.

No centro comercial Paulista, funcionários da empresa de segurança privada chegaram ao local com espingardas de calibre 12 e atiraram para o ar. Tudo para levar o dinheiro que estava no cofre.

No Facebook, os desabafos sucedem-se.

«Gente, acabei de chegar em casa! Quinta-feira, 15h45, a cidade do Recife em alerta vermelho! Exército na rua... saques e vandalismos! O comércio todo fechado, a força em nome da segurança pública! Shoppings evacuados... Estou a tremer até agora, nunca vivenciei nada assim... Estágio pré-copa!», escreveu Mirella Carvalho.

Os polícias militares iniciaram a paralisação esta terça-feira à noite e decidiram manter a mobilização após uma reunião com líderes do Governo. De acordo com um representante, a paralisação foi mantida porque não houve acordo quanto ao aumento de 50% no salário-base, uma das reivindicações da categoria.

Os polícias militares lutam ainda pelo aumento do subsídio de alimentação e pela estruturação do Plano de Cargos e Carreiras da corporação.