A doença que está a dizimar as populações de abelhas no planeta é originária da Europa, lê-se na revista Science, que publicou os resultados de uma investigação da Universidade de Exeter, no Reino Unido, e de Berkeley, Califórnia.

Os investigadores descobriram que as abelhas europeias da espécie Apis mellifera, são, sem dúvida, as responsáveis por todos os casos de asa deformada.

O vírus responsável pela doença da asa deformada não representa uma ameaça séria para as abelhas, mas quando encontra o ácaro Varroa, que se alimenta de larvas e está presente nas colmeias, a combinação é devastadora, provocando a morte de milhões de abelhas nas últimas décadas.

Isto sugere que a pandemia resulta do transporte de colmeias para polinizar plantações, em vez de o fenómeno ser natural, concluíram os investigadores.

“Este é o primeiro estudo a mostrar que as abelhas europeias são a fonte desta pandemia, combinando a doença da asa deformada com o Varroa”, afirmou a co-autora do estudo Lena Wilfert, da Universidade de Exeter, citada pela Lusa.

“O estudo mostra que a propagação desta combinação destrutiva é em grande parte resultado do ser humano, porque se fosse natural havia transmissões para países próximos uns dos outros o que não é caso"

Na Nova Zelândia, os vírus responsáveis pela asa deformada são europeus.

Os investigadores apelam para que seja limitada a circulação de colmeias, mesmo que não estejam infetadas com o Varroa e pedem aos apicultores para tomarem as medidas necessárias para erradicar os parasitas das suas colmeias, porque os polinizadores selvagens também podem ser contaminados pelo vírus.