A antiga secretária de Estado do Reino Unido Sayeeda Warsi anunciou que deixou de apoiar a campanha pela saída da União Europeia (UE), por considerar que promove o “ódio e a xenofobia”.

Sayeeda Warsi, a primeira mulher muçulmana a integrar um Governo britânico, disse ao jornal The Times que decidiu “deixar a saída” devido a um cartaz, uma imagem de migrantes e refugiados a fazerem fila na fronteira na Eslovénia com a legenda ‘Ponto de rutura’, divulgado pelo líder do partido UKIP, anti-UE, Nigel Farage, na semana passada.

O cartaz ‘Ponto de rutura’ foi, realmente, para mim, o ponto de rutura, que me levou a dizer ‘Não posso continuar a apoiar isto’”, disse Warsi.

A população do Reino Unido vota a 23 de junho num referendo que vai decidir a permanência ou saída do país da União Europeia.