As autoridades de saúde da Irlanda (HSE) realizaram esta quinta-feira o teste do vírus Ébola ao corpo de um homem encontrado morto em Donegal, no noroeste, que recentemente viajara para países africanos afetados pelo vírus.

«As autoridades de saúde pública (HSE) avaliam, de momento, um caso suspeito de doença relacionado com o vírus Ébola», refere um comunicado.

A HSE foi informada, no início do dia, da presença do corpo de um indivíduo, descoberto hoje de manhã, que viajou recentemente para uma das áreas afetadas pelo surto do vírus Ébola em África, acrescenta a nota das autoridades de saúde pública.

Ébola: médico tratado com droga experimental já teve alta

Entretanto, o Senegal encerrou as fronteiras com a Guiné-Conacri, esta quinta-feira, devido à epidemia de Ébola, mais de três meses depois de as ter reaberto, revelou um comunicado do Ministério do Interior.

«Dada a evolução do surto de febre hemorrágica, que constitui um problema de saúde pública de importância global, o Senegal decidiu voltar a fechar as fronteiras terrestres com a República da Guiné», refere a nota.

«Esta medida abrange as fronteiras aéreas e marítimas para aeronaves e navios da República da Guiné, da Serra Leoa e da Libéria», precisa o comunicado.

ONU quer estruturas preparadas caso «seja necessário»

O coordenador das Nações Unidas para o combate ao Ébola, David Nabarro, disse pretender que as estruturas sanitárias da organização estejam em condições de enfrentar uma acentuada deterioração da doença, caso «seja necessário».

David Nabarro falava quinta-feira no início da sua digressão pelos países africanos afetados pelo vírus.

«O que estou determinado a fazer é assegurar que qualquer elemento do nosso dispositivo esteja em condições ótimas para enfrentar um surto, caso seja necessário», declarou David Nabarro à Agência France Press, durante uma escala no aeroporto de Conacri, com destino a Monrovia.