O Estado cubano estabeleceu um plano de vigilância como parte das medidas preventivas e de controlo de possíveis casos de Ébola que possam chegar à ilha, devido ao surto da doença na África ocidental, revelou esta quarta-feira a televisão estatal.

As autoridades sanitárias cubanas mantêm atualmente um controlo diário dos seus colaboradores que se encontram em missões médicas em países africanos, segundo explicou a diretora do Departamento de Controlo Internacional do Ministério de Saúde Pública, Niurka Molina Ávila.

Por outro lado, acrescentou, foram aplicadas várias medidas de vigilância epidemiológica nas fronteiras que visam detetar visitantes suspeitos de padecer de Ébola.

«Aumentamos a vigilância em portos, aeroportos e marinas como parte do reforço das medidas preventivas», disse.

Desde que foi detetado em março, o surto de Ébola já terá provocado mais de 887 mortes entre os 1.603 casos confirmados na Libéria, Guiné Conacri, Serra Leoa e Nigéria, referem os últimos números da Organização Mundial de Saúde.