A Liga Anti-Difamação dos Estados Unidos (ADL, na sigla em inglês) declarou oficialmente um popular meme da Internet como um símbolo de ódio. Falamos do sapo Pepe, uma personagem que tem sido associada a ideias xenófobas e antissemitas e que, há poucas semanas, aqueceu as Presidenciais norte-americanas.

Longe vai o tempo em o sapo Pepe era apenas um meme inofensivo, usado tanto por adolescentes como por celebridades.

A personagem surgiu em 2005, na série “Boy’s Club”, do cartoonista Matt Furie. O sapo tornou-se tão popular que depressa começou a correr a Internet como meme e a ser partilhado por famosos como Katy Perry ou Nicki Minaj.

Mas, nos últimos tempos, e sobretudo desde o final do ano passado e início deste ano, o sapo Pepe começou a ganhar uma conotação ofensiva, associada a ideias antissemitas.

Isto porque movimentos de extrema-direita decidiram usar esta personagem popular na divulgação de mensagens de propaganda. O sapo Pepe ganhou bigodes de Hitler, uniformes nazis e até vestes do Klu Klux Klan.

E é neste sentido que a ADL, uma das mais importantes organizações americanas de combate ao racismo e antissemitismo, veio declarar o sapo Pepe como um símbolo de ódio.

“Racistas e radicais transformaram uma figura de animação popular num símbolo de propaganda para os seus próprios interesses, divulgando intolerância e ódio”, explicou Joanthan A. Greenblatt, o diretor da ADL.

Há cerca de duas semanas, o sapo Pepe chegou às Presidenciais norte-americanas.

O filho de Donald Trump partilhou no Instagram uma montagem onde o pai, ao centro, surge acompanhado de vários aliados em posição de combate. Só que um dos guerrilheiros, e portanto aliado de Trump, tinha a cara do sapo Pepe. Não foi preciso muito tempo para a publicação causar polémica e motivar uma chuva de críticas.

Donald Trump Junior alegou que não sabia que existia uma interpretação negativa associada a este sapo. Mas Hillary Clinton não perdeu tempo e aproveitou o deslize do filho do adversário para apontar baterias à família Trump.

No seu site de campanha, Clinton publicou um artigo que explica a história e a conotação desta personagem, acusando a família de Trump de racismo. 

A candidata recorda ainda que o próprio Donald Trump já tinha partilhado a imagem do sapo Pepe no Twitter, em 2015. O magnata do imobiliário publicou um tweet onde surge com a  cara do sapo Pepe, numa montagem feita por indivíduos ligados ao Klu Klux Klan.