São Tomé e Príncipe realiza este domingo eleições presidenciais num país em crise económica, com uma democracia que comemora 25 anos de existência em que abundam as suspeitas de compras de votos.

Segundo Ambrósio Quaresma, porta-voz da Comissão Eleitoral Nacional, não estão previstos boicotes e estão espalhadas pelo país e pela diáspora mais de duas centenas de mesas de voto.

"Está tudo a decorrer com normalidade e não há nenhum incidente", afirmou Ambrósio Quaresma.